12 janeiro 2010

Devaneios

Quero algo forte o bastante
que me leve mais que alguns instantes
para espaços siderais
e que em movimentos constantes
faça todo o meu corpo flutuante
viajar entre espirais.
Me perco em um mundo distante
em meio a descoberta de nuances
nunca antes ditas reais.
Ter uma mente brilhante
é bem melhor que um gris anulante,
meras massas cerebrais.

E em pleno movimento 
eu vejo o mundo
parando a passos lentos.
180 graus, 
rotação que dou em mim mesmo.
Quero ouvir o silêncio
e entender o som 
que me traz o vento;
vozes, gritos, choro, 
sorrisos e tudo mais.

E em pleno movimento 
eu vejo o mundo
parando a passos lentos.
Eu quero ouvir o silêncio 
e entender o som
que me traz o vento;
vozes, gritos, choro, 
sorrisos e tudo mais.
Gigantes moinhos nada cordiais.

Nada cordiais, tempos.
Nada cordiais, gritos.
Nada cordiais, risos.
Nada cordiais, filhos.



Um comentário:

Denize Dantas disse...

Belissímo blog!!!! Textos ótimos..
=D